Procura se Cachorro Morte de cachorro mobiliza ONGs, famosos e internautas

Morte de cachorro mobiliza ONGs, famosos e internautas

O caso do vira-lata morto a pauladas em um supermercado de Osasco gerou revolta. Assunto foi um dos mais comentados nas redes sociais

Vira-lata morto em supermercado é homenageado nas redes sociais

Vira-lata morto em supermercado é homenageado nas redes sociais

Reprodução/Instagram

Uma onda de protestos tomou conta das redes sociais nesta terça-feira (4). O caso do vira-lata morto a pauladas em um supermercado na grande São Paulo mobilizou ONGs de proteção animal, famosos e internautas.

Dezenas de imagens circulam com pedidos de justiça, boicote ao estabelecimento e ilustrações do cachorro retratado como anjo. "Luto pela falência da lei desse país que trata animais como lixo. Cadeia urgente", escreveu o apresentador Luiz Bacci.

A ativista Luisa Mell virou o segundo assunto mais comentado no Twitter após ter divulgado as imagens da câmera de segurança do local. No Instagram, ela desabafou: "Estou passando mal com as imagens do ocorrido! Assistam tudo nos meus Stories! Queremos justiça".

"Estou com você", comentou a atriz Larissa Manoela. Logo abaixo, Maisa também mostrou solidariedade: "A justiça vai ser feita! Estou chocada com essa crueldade. Vamos juntos, Luisa".

Uma manifestação está programada para o próximo dia 08 de dezembro, no mesmo local onde o animal foi morto.

O caso

Segundo testemunhas, na última quarta-feira (28), um segurança terceirizado teria envenenado e golpeado o cachorro diversas vezes na tentativa de matá-lo. A agressão aconteceu dentro de uma loja do Carrefour.

Não precisou muito para dezenas de vídeos se espalharem pelas redes sociais. As imagens mostram o cãozinho sendo resgatado, depois já machucado e também há registros dos ativistas cobrando satisfação do estabelecimento.

"O agressor já foi identificado e intimado, mas está se furtando a aplicação da pena e investigações. Ele responde por crime de maus-tratos com uma detenção de três meses a um ano, e aumento de pena pela morte do animal", finalizou o delegado Bruno Lima, que  esteve no local para acompanhar o caso e registrou o primeiro boletim de ocorrência.

    Access log