Plataforma facilita 'match' entre voluntários e instituições

Idealizada por dois jovens empreendedores, startup de tecnologia social facilita encontros entre quem quer ajudar o próximo, e quem precisa de ajuda

No site, é possível fazer o cadastro de voluntários e instituições

No site, é possível fazer o cadastro de voluntários e instituições

Reprodução

Quantas pessoas não gostariam de fazer um trabalho voluntário, mas não sabem nem por onde começar? Qual entidade ajudar? Será que o trabalho é sério?

Com o intuito de fazer essa ponte, entre quem quer ajudar o próximo e quem precisa dessa ajuda, nasceu a AltruS, uma startup de tecnologia social que pretende promover esses "matchs". 

Em versão beta, a AltruS já está no ar com seu MPV - mínimo projeto viável - para confirmar a eficácia da ideia e captação de investidores.

O projeto prevê, para 2019, o lançamento de um aplicativo de geolocalização, que vai mapear Ongs e instituições em um determinado raio de distância, para que os interessados em prestar trabalho voluntário encontrem locais próximos de onde estão para atuar. 

O projeto foi idealizado pelo publicitário Bruno Aleixo após um drama pessoal. "No dia primeiro de agosto de 2012, no auge da minha forma física e carreira profissional, sofri um AVC. Enquanto estive em uma cadeira de rodas, entre uma fisioterapia e outra, comecei a pensar em como poderia usar o meu conhecimento em marketing em benefício do próximo, e comecei a idealizar a AltruS, um canal para conectar altruístas e empresas socialmente responsáveis a iniciativas sociais que demandam ajuda, utilizando a tecnologia em favor da promoção do altruísmo." 

Projeto social transforma refugiados em professores de idiomas em São Paulo

Bruno Aleixo e Cássio Falcón querem incentivar o voluntariado

Bruno Aleixo e Cássio Falcón querem incentivar o voluntariado

Reprodução

Aleixo conta que ficou dois anos fazendo tratamento na AACD. Ele não andava, não mexia os braços, nem as pernas, e passava o dia todo lá. "Eu ficava no celular, vendo aquele monte de autopromoção... do meu lado estavam pessoas precisando de uma perna mecânica, de uma cesta básica."

Em seu período de recuperação, reencontrou um amigo, Cássio Falcón, hoje diretor executivo da AltruS, que o incentivou a tirar a ideia do papel. "Foi uma coisa de persistência, todo mundo gostava da ideia, era algo inédito. Montamos nosso modelo de negócios e fomos atrás de recursos."

Gianne Albertoni visita projeto social do Instituto Ressoar no interior da Bahia

A dupla inscreveu a startap em eventos para apresentar a proposta a investidores. O AltruS foi selecionado e, aos poucos, deu andamento à realização do projeto. A versão que está no ar permite que tanto os projetos sociais quanto os altruístas consigam fazer o primeiro cadastro.

O mecanismo do "match" ainda está em fase inicial, mas Aleixo diz que já é possível realizar o cruzamento entre os interessados. Mesmo com foco em iniciativas menores, as instituições só entram no projeto após passarem por uma seleção criteriosa.

Para quem busca ajudar, é uma garantia de estar prestando um serviço a instituições sérias. Camila Jarnallo, da empresa Nine, sempre procura incentivar amigos e funcionários a fazer um trabalho social, e já contou com a ajuda da AltruS.

Projeto social transforma meias usadas em cobertores novos

As instituições passam por uma seleção para entrarem no AltruS

As instituições passam por uma seleção para entrarem no AltruS

Reprodução

"É incrível: muitas pessoas querem ajudar, não sabem como. Fazer o bem vai ficar muito mais fácil com o apps. Às vezes a pessoa quer ler um livro para alguém, e não tem ideia de que há uma creche ou um asilo na própria rua onde mora. Não é só doar dinheiro. O mundo está necessitado de amor, de doação de tempo, de habilidade. Não precisa ter dinheiro para se dedicar a uma causa." 

Para Victors Stevaux, do projeto Victórias pelas Vida, o AltruS só vai acrescentar e ajudar as Onsg. "Nosso principal objetivo é o combate à fome e a assistência a comunidades e famílias carentes, amigos de rua, com entrega de alimentos, doações, e até cuidados medicos", conta.

A Victórias pela Vida entrega cerca de 500 quentinhas, todas terças-feiras, para pessoas em situação de rua. Estar na AltruS, diz Stevaux, aumentou o número de voluntários. "Precisamos semear isso. Fazer sozinho ficaria limitado, mas quando a gente junta uma equipe de pessoas do bem, querendo fazer o bem, a coisa acontece." 

Príncipe Harry visita projeto social e joga bola com crianças

Aleixo avisa que esse é o seu projeto de vida, o legado que quer deixar para o mundo: fomentar a cultura da doação e do voluntariado; dar voz às causas e gerar transformação pessoal e impacto social.  "Hoje, a sigla AVC passou a ter um novo significado pra mim: A Vida Continua."