Veja dicas para um alisamento seguro

Embora frequentes, escovas químicas podem resultar em desastre. Aprenda a se prevenir

Veja dicas para um alisamento seguro

Fios lisos são favoritos, mas é preciso ter cuidado com químicas

Fios lisos são favoritos, mas é preciso ter cuidado com químicas

Thinkstock

Alisamento é uma prática de beleza que  assusta mulheres adeptas dos procedimentos químicos. Em agosto de 2012, uma mulher de Sorocaba (SP) viu os cabelos caírem até ficar completamente careca após fazer um alisamento caseiro.

De acordo com a cabeleireira Silvana Lima, do salão de beleza Studio W, escovas químicas para alisamento realmente representam um risco à saúde, caso sejam feitas em casa ou por maus profissionais.

— Isso pode acontecer se a pessoa não se atentar a ler, com cuidado, a maneira certa de aplicar o produto. Eu já vi muitas vezes isso ocorrer.

Isso não significa, entretanto, que os produtos para escovas sejam fabricados para colocar as consumidoras em risco. De acordo com a dermatologista Lauren Morais, o problema com as químicas é que as possibilidades de reações adversas com outros produtos usados previamente no cabelo são tantas que o procedimento acaba se tornando arriscado se feito por quem não tem prática.

Veja dicas de como cuidar de cabelos cacheados

Maquiador das estrelas conta o que vai bombar na maquiagem de inverno

— O alisamento, a princípio, não é contra-indicado nem mesmo se for caseiro. Mas é preciso saber o que já foi usado antes no cabelo porque muitas químicas são incompatíveis.

Segundo a dermatologista Daniela Landim, os principais erros são aplicar muita ou pouca quantidade do produto e ultrapassar o tempo proposto pelo fabricante. Embora pareçam bobagens, tais deslizes podem resultar em uma catástrofe capilar.

O ideal, de acordo com a médica, é que o procedimento seja feito apenas por um bom profissional. Saiba o que ele precisa fazer para que dê tudo certo, e siga você também as instruções de Daniela caso prefira alisar as madeixas por conta própria:

— Verifique se o produto que está adquirindo é liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A Anvisa não permite que produtos com formol sejam utilizados em casa ou em salões de beleza;

— Não tenha pressa. Antes de aplicar o produto em todo o cabelo, passe em uma mecha e aguarde para observar o resultado. Se perceber algo anormal, como coceiras, queimação no couro cabeludo ou quebra do cabelo, é melhor não fazer o alisamento;

— Peça a um especialista para avaliar a qualidade dos fios. Cabelos descoloridos, por exemplo, costumam ser fragilizados e, por isso, tendem a não resistir e quebrar;

— Se um cabeleireiro disser que seu cabelo não vai suportar a descoloração, não insista. Não adianta tentar artimanhas como deixar o produto por menos tempo em contato com os fios;

— O alisamento é incompatível com outras químicas, portanto, se já deixou os cachos e ondas no passado, utilize o mesmo produto nos alisamentos seguintes;

— O cabelo ideal para o alisamento é saudável e hidratado;

— Respeite o tempo de permanência nos fios especificado na embalagem do produto. Não tente deixá-lo mais tempo para que os fios fiquem mais lisos, porque não vai dar certo. Quanto mais eles forem expostos à química, maiores as chances de quebrarem;

— Faça hidratação com frequência. O alisamento não deixa de ser uma agressão aos cabelos e  pode causar danos a médio prazo;

— Lave sempre os cabelos com xampus adequados a cabelos com química.