Mãe Asfixia seria a principal causa de morte de cadeirinha em recall

Asfixia seria a principal causa de morte de cadeirinha em recall

Mortes teriam sido associadas à capacidade de rolamento nas cadeirinhas de bebês que, devido à sua posição, não conseguiam respirar

Asfixia seria a principal causa de morte de cadeirinha em recall

Cadeirinha causou morte de cerca de 30 bebês em 10 anos

Cadeirinha causou morte de cerca de 30 bebês em 10 anos

Fisher-Price

Asfixia e dificuldade para respirar devido à posição do bebê seriam as principais causas de mortes que motivaram o recolhimento de cadeirinhas inclináveis de bebê, revelado nesta sexta-feira (12) pela empresa americana Fisher-Price.

A empresa, do grupo americano Mattel, anunciou o recall de 4,7 milhões de cadeirinhas de bebê, após o produto ter sido apontado como o causador de cerca de 30 mortes de crianças nos últimos 10 anos. De acordo com o site da empresa, a convocação de consumidores é válida apenas para os Estados Unidos, onde a cadeira era vendida.

Leia também: A ideologia por trás da tradição de pôr bebês para dormir em caixas de papelão na Finlândia

As cadeiras do modelo Rock'n Play Sleeper apresentavam inclinação de 30 graus e permitiam a programação para o assento balançar e tocar músicas.

No dia 5 deste mês, a empresa e a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos Estados Unidos (CPSC, na sigla em inglês) já haviam emitido uma nota de advertência do produto pelo risco de sufocamento acidental, orientando que os pais não usassem o produto com bebês após os três meses de idade ou quando começacem a apresentar a capacidade de rolar.

A convocação de sexta-feira afirmou que as mortes ocorreram com crianças acima dos três meses de idade, após rolarem de barriga para baixo, impossibilitando a respiração.

Saiba mais: Conheça dicas para fazer o seu bebê dormir bem

De acordo com o site da revista americana Consumer Reports, veículo destinado a testes e pesquisas sobre produtos, entretanto, foram registaradas mortes de bebês abaixo deste limiar de idade, ocorrendo com crianças de até nove dias de nascimento.

Segundo um estudo publicado na revista científica americana The Journal of Pediatrics, o uso de assentos reclinados, como as cadeirinhas de carro, não são recomendadas para o uso para o sono do bebê, pois a posição diminuiria os níveis de oxigênio da criança.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Marcos Sergio Silva