Elas no Tapete Vermelho “Não usava substâncias ilícitas”, diz agência de modelo morto

“Não usava substâncias ilícitas”, diz agência de modelo morto

Empresa disse que Tales Cotta nunca se queixou de problemas de saúde e ressaltou que 'o modelo sempre teve comportamento exemplar'

tales cotta

Tales Cotta no desfile da Ratier

Tales Cotta no desfile da Ratier

Francisco Cepeda/AgNews/Elas no Tapete Vermelho

Agência Base MGT, que cuidava da carreira de Tales Cotta (Tales Soares, nome de registro), morto após sofrer mal súbito durante o desfile da Ocksa, divulgou comunicado nas redes sociais na noite deste sábado (27).

“Ressaltamos que o modelo sempre teve comportamento exemplar. Não era estreante, já desfilou em outras edições tanto do SPFW, quanto de outros importantes eventos de moda, como a Casa de Criadores”, escreveu a agência.

“Ressaltamos que Tales nunca apresentou ou se queixou de problemas de saúde. Ele mantinha uma dieta saudável (era vegetariano), não usava substâncias ilícitas e estava em plenas condições para participar do desfile. Aguardamos o laudo médico e pedimos respeito nesse momento de profunda tristeza”, continua o comunicado da Base, responsável pela carreira do modelo há um ano e meio.

VEJA FOTOS DO MODELO, QUE ERA FORMADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Tales Cotta no desfile da Ratier

Tales Cotta no desfile da Ratier

Francisco Cepeda/AgNews/Elas no Tapete Vermelho

O motivo da morte só será conhecido após a emissão do laudo médico, mas comentários nos bastidores eram de que não havia comida vegetariana no camarim, por isso estaria muito tempo sem ingerir algo. Segundo a assessoria do evento, havia tapenade de berinjela e lanches sem carne no backstage.

Outra hipótese aventada é de que teria sofrido um ataque epilético. Os socorristas prestaram atendimento imediato ao jovem, colocaram-no numa maca e, fora da sala do desfile, tentaram reanimá-lo. Em seguida, levaram-no para o Pronto Socorro da Lapa.

Tales Cotta minutos antes de ter mal-súbito na Ocksa

Tales Cotta minutos antes de ter mal-súbito na Ocksa

Francisco Cepeda/AgNews/Elas no Tapete Vermelho

Tales, 26 anos, já havia desfilado para a Casa de Criadores em meados de 2018 e, em outubro do mesmo ano, no SPFW, para a Ratier, grife para a qual também desfilou nesta sexta-feira (26). Nesta edição do SPFW, o outro desfile que faria era apenas o da Ocksa.

Sonho

O modelo era mineiro de Manhuaçu, onde mora sua mãe. Estudou Educação Física na Faculdade Federal de Vila Velha e, segundo seu amigo e primeiro agente dele, Faelo Ribeiro, morreu fazendo o que sempre batalhou: desfilando.

“Ele conquistou seu sonho. No começo da carreira, foi rejeitado por sua altura (1m82). Quando abri a agência aqui em Vila Velha, em 2011, começamos a trabalhar sua vida profissional. Ele disse que eu sempre estaria com ele, tanto que marcava a agência nos posts do Instagram”, afirmou o amigo. ““Sempre foi muito engajado em causas sociais. Militava pelas minorias, dava aulas em comunidade carente”, completou.

Nas redes sociais, Tales publicou sua rotina no SPFW, em posts e no Stories do Instagram. A última postagem foi uma foto com look com o qual foi até o SPFW: calça Ratier e jaqueta da Age, grife para a qual fez a última campanha.

Visualizar esta foto no Instagram.

Click by @iude @spfw Jaqueta: @in.theage Calça: @ratierclothing #malemodel #style #photoshooting #brazil #brazilianmodels #spfw47 #ffwc19 #ffw #brazil

Uma publicação compartilhada por Tales Cotta (@tales.cotta) em

Veja nota oficial da agência Base

Veja nota oficial da Ocksa

Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por Också (@ocksaofficial) em

Veja nota oficial do SPFW

Visualizar esta foto no Instagram.

Comunicado Oficial

Uma publicação compartilhada por São Paulo Fashion Week (@spfw) em