Casa e Família Justiça determina recolhimento da Vogue Kids com fotos sensuais de crianças

Justiça determina recolhimento da Vogue Kids com fotos sensuais de crianças

Ação contra a venda da revista foi movida pelo Ministério Público do Trabalho 

Justiça determina recolhimento da Vogue Kids com fotos sensuais de crianças

A Justiça determinou, em caráter liminar, a suspensão da distribuição e a retirada da edição deste mês da Vogue Kids

A Justiça determinou, em caráter liminar, a suspensão da distribuição e a retirada da edição deste mês da Vogue Kids

Divulgação

Após uma avalanche de críticas nas redes sociais, sob a acusação de publicar fotos de meninas menores de idade em fotos sensuais, a Vogue Kids deste mês terá de sumir das bancas. Uma liminar da Justiça determinou nesta sexta (12) que a editora Globo, responsável pela publicação, interrompa a distruibuição e retire de circulação a revista, que vem encartada com a Vogue. A decisão foi divulgada pelo Ministério Público do Trabalho, que havia entrado com uma ação cautlear contra a venda da revista. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a ação corre em segredo de Justiça e foi acatada pelo Juízo Auxiliar da Infância e Juventude do TRT (Tribunal Reginal do Trabalho). As queixas sobre o ensaio "Sombra e Água Fresca" chegaram ao Ministério Público Federal e Estado e à Polícia Federal na quinta-feira (11). Para o Ministério Público, a publicação violou o princípio da proteção integral à criança, previsto pela constitução.

Uma das acusações tem como autor o instituto Alana, organização de defesa dos diretos das crianças. Em entrevista à Folha, a psicóloga Laís Fontenelle afirmou que "as garotas em poses sensuais e existe uma clara adultização precoce das crianças".

VEJA TAMBÉM: Pais que estimulam comportamento erótico dos filhos estão "amputando" sua infância, diz especialista

Ao R7, o pediatra, Daniel Becker, responsável pelo blog Pediatria Integrada, um dos primeiros a repercutir e comentar o editorial de moda da revista Vogue no Facebook, afirmou que a erotização ali está de forma tão explícita e grosseira que não há como não ficar nauseado.

— Mal dá para dizer a idade das meninas, tamanho é o invólucro de sensualidade, mas calculo que tenham entre 7 e 9 anos. Todas fazendo coisas eróticas. Uma deitada no deck, que parece alguém que acabou de transar. A outra insinuando tirar a blusa. Bocas e pernas abertas. As crianças estão sendo usadas como objetos de uso sexual e reproduzindo a pior atitude da sociedade com as mulheres, que é fazer das mulheres um objeto.

Em nota enviada à redação do R7, a revista Vogue se defendeu das acusações:

— A Vogue Brasil, responsável pela publicação de Vogue Kids, em razão de recentes discussões em redes sociais envolvendo a última edição da revista, mais especificamente o ensaio de moda intitulado “Sombra e Água Fresca”, vem esclarecer que jamais pretendeu expor as modelos infantis a nenhuma situação inadequada. Seguimos princípios jornalísticos rígidos, dentre os quais o respeito incondicional aos direitos da criança e do adolescente. Como o próprio título da matéria esclarece, retratamos as modelos infantis em um clima descontraído, de férias na beira do rio. Não houve, portanto, intenção de conferir característica de sensualidade ao ensaio. Respeitamos a diversidade de pontos de vista e iremos nos aprofundar no entendimento das diversas vozes nesse caso, buscando o aperfeiçoamento das nossas edições. Repudiamos, porém, as tentativas de associar a Vogue Kids ao estímulo de qualquer prática prejudicial aos menores. Lamentamos que o açodamento e a agressividade imotivada de algumas pessoas tenham exposto desnecessariamente as menores que participaram do ensaio, que são nossa maior preocupação nesse episódio. A missão da Vogue Kids foi e continuará a ser a de tratar a infância com o respeito que ela merece, abordando com respeito e sensibilidade questões contemporâneas e que vão muito além dos editoriais de moda.