R7 Meu Estilo Aos 50 anos, você ainda é jovem para exercícios e até para maratona

Aos 50 anos, você ainda é jovem para exercícios e até para maratona

Com acompanhamento, atividade física pode ser iniciada em qualquer idade. Conheça a corredora de 103 anos que vai tirar você do sofá 

Aos 50 anos você é jovem ainda para praticar exercícios

Atividade física: não tem
 idade pra começar

Atividade física: não tem idade pra começar

Pixabay

Para quem chegou aos 50 anos e acha que já é hora de colocar as pantufas e aceitar que envelheceu, um recado: não é bem assim que a banda toca. Escolher o sedentarismo até pode parecer uma boa opção se a atividade física nunca fez parte da rotina, mas é justamente nessa idade que o corpo merece uma atenção extra. 

Atividade física intensa sem descanso prejudica fígado e coração

O desafio de voltar à ativa levanta dúvidas sobre como e por onde começar, por isso o educador físico Aulus Sellmer explica que o primeiro passo é procurar um médico e depois fazer uma avaliação física. Ele ainda esclarece que não existem exercícios ou modalidades esportivas que devem ser evitadas por pessoas nessa faixa etária.

No entanto, é sempre importante se atentar às restrições médicas que podem afastar a possibilidade de fazer determinados exercícios. A dica do educador é a de estabelecer metas realistas ao iniciar uma atividade física. “Escolha um exercício prazeroso, comece devagar com uma intensidade leve e respeitando os limites do corpo”, completa.

A maratonista Yara Achôa tem 53 anos e não quis saber de desculpas. Ela, que começou a correr aos 40, participou ano passado da maratona de Boston, nos Estados Unidos, depois de se classificar com um tempo 20 minutos menor do que exigia a prova para os participantes entre 50 e 54 anos.

“Atualmente corro três vezes por semana, faço musculação, pilates e ainda pedalo. Qualquer hora é hora. Não existe essa de ‘já passei da idade’ e ‘não consigo’”, afirma a atleta.

Depois dos 50 anos não são apenas os cabelos brancos que começam a dar as caras com mais frequência, doenças como hipertensão e diabetes também aumentam a incidência.

O cardiologista do Hospital Samaritano e diretor da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro, Fernando Bassan, comenta que “a atividade física, para essa população, traz benefícios notórios no controle da pressão, glicose e colesterol, inclusive, com redução da chance de morte”.

Às vésperas de completar 50, Marcos Santos Mourão, conhecido como Marcola, resolveu se propor o desafio de fazer 50 maratonas em um ano para comemorar o aniversário. O educador físico já está na semana 44 da jornada e conta que até agora não sofreu nenhuma lesão. A última prova está prevista para 28 de julho. 

“Respeito meu corpo porque preciso dele no dia a dia. Enquanto os atletas de alta performance correm para bater metas, eu encontro prazer e diversão nessa prática”, afirma Marcola.

Para além da atividade física, o cuidado com a alimentação também merece uma atenção especial. O endocrinologista do Hospital Sírio-Libanês, Renato Zilli, recomenda que os praticantes de exercícios nessa idade evitem alimentos processados, diminuam o consumo de proteína animal e invistam em nozes, amêndoas, castanhas, frutas e legumes in natura.

Corredora Julia Hawkins, de 103 anos, já quebrou recordes

Corredora Julia Hawkins, de 103 anos, já quebrou recordes

Reprodução/Senior Games

Se todos esses argumentos não foram suficientes para provar que os 50 anos são a melhor idade para começar a se mexer, a americana Julia Hawkins, de 103 anos, provou que também não há tempo perdido.

A corredora quebrou o recorde dos Jogos Seniores de 2019 e levou a medalha de ouro na categoria de “100 anos e mais”. Ela ganhou o apelido de “Furacão”.