PETA divulga lista de empresas de cosméticos que fazem testes em animais

Arquivo detalha ainda nomes dos produtos das companhias

Animal resgatado nesta sexta-feira (18), em São Roque, São Paulo
Animal resgatado nesta sexta-feira (18), em São Roque, São Paulo Cristiano Novais/Cpn/Estadão Conteúdo

Depois do escândalo ligando o Intituto Royal aos testes cruéis em animais, que foi divulgado na madrugada desta sexta-feira (18), em São Paulo, ONGs de proteção animal se manifestaram contra a atitude. Uma delas foi a PETA, maior organização não governamental que luta contra os maltratos aos animais.

O acontecimento tomou tamanha proporção que, um link hospedado no site da organização, tem circulado nas redes sociais para divulgar os nomes das empresas que também realizam esse tipo de teste. No arquivo, estão presentes nomes como:

• Johnson & Johnson

• Unilever

• Revlon

• L'Oreal

• Close-up

• Dolce & Gabbana

• L'Occitane

• M.A.C. Cosmetics

• Mary Kay

• Michael Kors

• Olay

• Shiseido Cosmetics

• P&G

O LADO DAS EMPRESAS

Em comunicado à imprensa, a Unilever anunciou que não realiza testes em animais em território nacional. E que a companhia realiza pesquisas a fim de criar métodos alternativos. 

— Em âmbito global, a aplicação de testes em animais é a exceção e não a regra na Unilever e utilizada muito raramente e apenas quando não há método alternativo disponível (testes em laboratórios ou modelos computadorizados) ou quando a legislação de um país realmente exigir e não existir alternativa segura. A Unilever deseja eliminar a realização de testes em animais da legislação, mas isso leva tempo, pois cada país tem diferentes diretrizes sobre o tema.

A L'Occitane também deu o seu pocisionamento:

— O que estamos fazendo é trabalhar junto com todos os órgãos necessários a fim de abolir este tipo de teste como é feito na Europa, onde nossa fábrica está localizada. Neste sentido, nenhum produto passa por testes em animais, conduta da marca desde a sua fundação.

Mary Kay procurou frisar que, no Brasil, a marca utiliza métodos alternativos:

— A Mary Kay está comprometida com o fim de teste em animais e defende fortemente a utilização de métodos alternativos para garantir a segurança de seus ingredientes e produtos. Nós não conduzimos teste em animais em nossos produtos ou ingredientes, tão pouco pedimos a terceiros que façam isso em nosso nome, exceto quando absolutamente requerido por lei. Por mais de duas décadas, somos líderes globais no desenvolvimento de métodos alternativos para garantir a segurança do produto. Este compromisso se mantém até hoje, em parceria com agências regulatórias globais, que gerenciam segurança em cosméticos, grupos de proteção aos animais e líderes de pesquisa em métodos alternativos. 

Tanto L'Occitane quanto Mary Kay ressaltaram que os testes em animais se mantém apenas na China, onde são requeridos por lei. 

Questionada pela reportagem do R7, a P&G declarou sua versão sobre o caso do produto Clairol.

— A P&G afirma que os produtos da marca Clairol não são testados em animais e nem é solicitado de nossa companhia que qualquer fornecedor ou laboratório realize testes em animais em nosso nome.

No início da noite desta sexta-feira (18), a Johnson & Johnson também se manifestou via assessoria de imprensa.

— A Johnson & Johnson esclarece que não realiza testes em animais para nenhum dos seus produtos de higiene e beleza produzidos no Brasil. Globalmente, a empresa não realiza testes em animais para nenhum dos seus produtos, de higiene e beleza, exceto em casos de exigência da legislação local de algum país em que a empresa esteja presente. A empresa apoia os esforços para eliminar o uso de testes em animais investindo recursos científicos no desenvolvimento e na comprovação de métodos alternativos, buscando suas validações, aceitação e adequações.

(*) Colaborou Rebeca Tosta, do R7

Veja também:
Sua maquiagem mata cachorrinhos? Saiba como comprar cosméticos livres de crueldade
Após resgatar os animais do Instituto Royal, Luísa Mell afirma: “É possível ser fashion sem ser cruel”